Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor
antevisões
Assassin's Creed Valhalla

Assassin's Creed Valhalla: Dawn of Ragnarok - Antevisão

O próximo capítulo na saga de Eivor está quase a chegar, e nós já vimos uma boa porção da nova aventura.

HQ
HQ

A Ubisoft está a preparar-se para lançar a terceira grande expansão de Assassin's Creed Valhalla, Dawn of Ragnarok, e presentou-nos com uma demonstração de jogabilidade com o intuito de mostrar de que forma esta expansão será diferente das restantes. E será muito diferente das restantes. É que aqui o foco estará em Odin, representado no corpo de Eivor, à semelhança de alguns momentos do jogo base (a combinação de ambos é conhecida como Havi). É uma história mais em torno de mitologia e magia, que irá levar o jogador para o reino de Svartalfheim. O objetivo? Salvar Baldr, filho de Odin, que foi capturado e aprisionado pelo gigante de fogo, Surtr.

Embora este seja o objetivo central, estamos naturalmente a falar de Assassin's Creed, e não vão faltar distrações e missões secundárias pelo caminho, incluindo auxiliar o povo de anões que receiam as forças invasoras de Surtr. Na sua essência, é uma expansão parecida com as outras duas, no sentido em que apresenta um novo mapa com as suas próprias histórias, intrigas, e objetivos secundários, só que em vez de ser baseado em França ou na Irlanda, é baseado num reino da mitologia nórdica.

É um mundo caracterizado pelas enormes raízes de Yggdrasil, a árvore no centro do universo que ficou manchada com a invasão do povo de Surtr. É um mapa que se caracteriza por vegetação luxuosa intercalada por cidades e estruturas douradas, construídas pelos anões. À sua magia e intriga natural junta-se a corrupção causada pelos exércitos invasores de Surtr, os Musphels.

Publicidade:

Estes Musphels são a própria encarnação de fúria, que apesar do seu design humanoide deixam transparecer a sua natureza mística através da pele fundida. Vai encontrar vários tipos de Musphels ao longo da sua aventura, que carregam várias armas e têm diferentes habilidades, além de existirem alguns gigantes pelo meio. Um elemento que distingue os Musphels de outros inimigos é a sua capacidade de se fortalecerem uns aos outros através de gritos de guerra, e de existirem alguns Musphels capazes de ressuscitarem os aliados caídos. Será muito importante priorizar quem irá eliminar primeiro.

Dawn of Ragnarok também vai apresentar um novo sistema de habilidades chamado Hugr-Rip, que é exclusivo desta expansão. O que queremos dizer com isto é que, ao contrário do conteúdo das outras expansões, não poderá levar estas habilidades para o resto do jogo - só as pode usar em Dawn of Ragnarok. Hugr-Rip é uma técnica que envolve usar a essência da vida para alimentar capacidades mágicas, como transformar-se num corvo para atravessar rapidamente o mapa, ressuscitar aliados, e até assumir a forma de um Musphel para que possa passar despercebido pelos exércitos de Surtr.

Assassin's Creed Valhalla

Existem cinco poderes para descobrir, e cada um pode ser melhorado com alguns elementos extra. Por exemplo, pode melhorar a capacidade de voo do corvo para que Havi assassine um inimigo ao cair em cima dele vindo da sua forma de corvo. O equipamento agora também terá uma nova qualidade melhorável, a categoria Qualidade Divina, que permite desbloquear um novo slot de Runa que adicionará características únicas a cada Poder, reforçando assim a personalização e especialização disponíveis em Assassin's Creed Valhalla.

Publicidade:

Dawn of Ragnarök também vai apresentar um novo tipo de arma, a Atgier, que deve introduzir um novo estilo de combate mais à base de combinações de golpes e estocadas. Em essência parece uma Polearm, mas também permite executar alguns golpes finais verdadeiramente devastadores. Terá muitas oportunidades para testar estas novas habilidades e arma, sobretudo na nova Arena Valkyrie. Trata-se de um ringue de combate que propõe uma série de desafios ao jogador, e que pode ser personalizada com diversas variantes para combater vários tipos de situações e de grau de dificuldade.

Os jogadores que já passaram dezenas ou até centenas de horas em Assassin's Creed Valhalla terão o luxo de já estarem familiarizados com a jornada de Eivor / Havi, e já estarão numa posição adequada para desfrutarem da expansão assim que ela chegar. Contudo, para quem ainda não atingiu o nível de poder de 340, a Ubisoft irá oferecer uma forma de subirem instantaneamente o nível da personagem, deixando-os prontos para Dawn of Ragnarok. Em termos narrativos a expansão será muito separada da história base de Valhalla, o que significa que pode abordar a expansão independentemente do ponto em que estiver na história principal.

Existem muitos motivos para estar interessado em visitar o reino de Svartalfheim, a julgar pelo que nos foi mostrado de Dawn of Ragnarok, e é precisamente isso que pretendemos fazer quando a expansão chegar a 10 de março. Parece ser algo interessante, não só para quem é fã de Assassin's Creed, mas sobretudo da mitologia nórdica.

Assassin's Creed ValhallaAssassin's Creed Valhalla
Assassin's Creed Valhalla

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte