Português
Gamereactor
análises
Pacific Drive

Pacific Drive

Fuja de uma gigantesca e perigosa cúpula de carro. Um conceito original, mas será que a desenvolvedora Ironwood Studios pode realizar seu potencial?

HQ
HQ

Se um jogo fosse julgado apenas pelo humor que sua premissa, mecânica, estrutura e apresentação podem gerar, Pacific Drive não apenas ficaria entre os melhores do ano, mas se juntaria a uma série de outras joias indie como evidência da imensa proeza criativa de estúdios relativamente pequenos. Explorar a chamada Olympic Exclusion Zone em sua confiável perua é uma experiência sutil onde você nunca pode contar com nada e onde a natureza tátil de controlar cada variável realmente o pega de surpresa.

Mas, infelizmente, a atmosfera não é tudo, ou se for, é alcançada e mantida de outras maneiras também, e é aíPacific Drive que a falta de polimento técnico e mecânicas de sobrevivência um pouco desiguais começam a ralar.

Pacific Drive
Publicidade:

Comecemos pelo início. Pacific Drive se passa em nosso mundo, mas com uma diferença crítica: há alguns anos, uma espécie de anomalia começou a surgir em algum lugar na região do noroeste do Pacífico da América do Norte (pense em Oregon, Estado de Washington e partes da Colúmbia Britânica). É um acontecimento geográfico, biológico e totalmente incompreensível que introduz fenómenos num raio de mais de 100 quilómetros, e de forma verdadeira Annihalation (sério, vejam esse filme) torna os animais, as plantas, o chão em que pisamos e o ar que respiramos engraçados, imprevisíveis e mutáveis. O homem decide estudar a zona, mas no final das contas os resultados são muito desiguais, muito estranhos e, em vez disso, decidiu encapsular o fenômeno com uma cúpula de várias centenas de metros de altura, deixando alguns atrás das paredes.

É aqui que você é sugado sem motivo, e os poucos sobreviventes dentro da zona decidem ajudá-lo a escapar. Isso só pode ser feito cuidando de uma perua antiga, um verdadeiro carro da família americana dos anos 70, e transformando-o em uma ferramenta que pode ajudá-lo a mapear os fenômenos na zona e, eventualmente, escapar.

Pacific Drive

Estou gastando mais tempo do que o normal definindo o cenário aqui, mas talvez isso seja apenas para garantir que você perceba o quão bem toda essa configuração funciona e como o jogo consegue definir seu cenário de forma eficiente e perfeita. Em termos mais práticos, o jogo é uma pequena mistura de diferentes elementos que já vimos antes. O jogo se passa em primeira pessoa, e a partir de uma base, que também passa a ser sua oficina, você parte em expedições em zonas abertas relativamente grandes dentro de... bem, a zona. Aqui você reúne recursos, evita fenômenos hostis e escapa de volta para a oficina para fazer os reparos necessários, atualizar o carro e, finalmente, expandir a oficina com novas ferramentas que permitem que você viaje mais fundo na zona, onde apenas perigos piores espreitam.

Publicidade:

Então, sim, um pouco de roguelite, um pouco de sobrevivência, um pouco de crafting - está tudo aqui, e você tem o prazer de manter uma visão geral de seus recursos, economizando para atualizações cruciais, enquanto às vezes é jogado para debaixo do ônibus pelos vários fenômenos maléficos do jogo e tendo que voltar para a oficina com um carro esmagado, enquanto pobre em recursos cruciais até mesmo para os reparos mais básicos.

No entanto, o jogo consegue estruturar sua experiência com objetivos óbvios, portanto, embora você possa explorar livremente partes selecionadas da zona e coletar recursos de uma só vez, há sub-objetivos específicos a serem alcançados, como alcançar uma determinada parte da zona ou interagir com um objeto. É tudo muito bem montado e, embora o jogo não tenha uma estrutura narrativa mais organizada e, portanto, momentos mais emocionais, ele consegue, como Firewatch, aproveitar ao máximo não ter realmente nenhum personagem na imagem. No entanto, roubar a própria voz do jogador é um verdadeiro erro.

Pacific DrivePacific Drive

O mais legal, porém, é o quão tátil tudo é. Tudo em Pacific Drive requer entrada. Colocar o carro em D ou P, ligar os limpadores quando está chovendo ou acender quando está escuro, tirar uma roda quebrada e colocar uma nova - tudo isso exige que você esteja lá, presente e contribui para um loop caracterizado por tarefas rudimentares, mas satisfatórias.

Então, qual é o problema? Atmosfera sólida, uma boa premissa, boas estruturas de sobrevivência? Como em tantos projetos, são as pequenas coisas. Em primeiro lugar, o jogo está em más condições técnicas, para dizer o mínimo, no PS5, onde a taxa de quadros geralmente é de 30fps, mas também é caracterizado por quedas para 20fps, o que é absolutamente inaceitável. Além disso, é ótimo estar tão tactilmente envolvido nos reparos, mas toda a convenção, o conjunto de regras por trás de quais botões fazem o quê, é tão confuso que levei dias para me familiarizar com toda a configuração. E, no final, é tudo um pouco desequilibrado. Requer muitos recursos para fazer upgrades gerais, as noites são um pouco longas demais e roubam alguma visibilidade básica e, portanto, uma visão geral do que diabos está acontecendo, e certos fenômenos parecem jabs bastante injustos no jogador em vez de desafios sólidos que podem ser superados ou evitados.

Pacific DrivePacific Drive

Em outras palavras, Pacific Drive provavelmente estava a uma revisão de QA ou duas de estar pronto para o horário nobre, o que é uma pena quando a desenvolvedora supostamente está se esforçando para lançar o jogo talvez no mês mais movimentado do ano, especialmente no PS5. Não sei bem porquê, mas parece particularmente inapropriado quando os principais problemas do jogo estão relacionados com o ajuste fino, balanceamento e refinamento técnico - tudo isso poderia ser alcançado com apenas alguns meses extras de tempo de desenvolvimento.

No entanto, isso também significa que, embora eu esteja dando um 7 hoje, Pacific Drive poderia um dia ser algo especial, um daqueles maravilhosos indie queridinhos que realmente coloca o estúdio no mapa. Fique de olho, porque essa ideia é muito legal.

HQ
07 Gamereactor Portugal
7 / 10
+
Atmosfera fantástica. Adorável mecânica tátil. Ótimas opções estilísticas por toda parte.
-
Desempenho técnico bastante péssimo no PS5. Alguns problemas estruturais desiguais. Alguns picos de dificuldade íngremes aqui e ali.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

0
Pacific Drive Score

Pacific Drive

ANÁLISE. Escrito por Magnus Groth-Andersen

Fuja de uma gigantesca e perigosa cúpula de carro. Um conceito original, mas será que a desenvolvedora Ironwood Studios pode realizar seu potencial?

0
Pacific Drive Prévia: Na Estrada para o Inferno

Pacific Drive Prévia: Na Estrada para o Inferno

ANTEVISÃO. Escrito por Ben Lyons

Estivemos na mão da Ironwood Studios com o próximo jogo de aventura de sobrevivência da Ironwood Studios para ver como ele está procurando se encaixar no espaço roguelite.



A carregar o conteúdo seguinte