Português
Gamereactor
análises
Pix the Cat

Pix the Cat

Pac-Man misturado com ChuChu Rocket, misturado com Snake = a um dos jogos mais viciantes de PS4 e PS Vita.

Este Pix the Cat, produzido pela Pasta Games, escapou ao nosso radar - demasiado ocupado com o ruído de outras grandes lançamentos -, até que chegou às lojas digitais de PS Vita e PS4, há algumas semanas (e logo como parte dos jogos PS Plus!). Agora estamos aqui para corrigir a situação, com uma análise a um jogo que pode ser descrito como uma mistura de Pac-Man, ChuChu Rocket! e Snake, o velho jogo de telemóveis.

O conceito básico leva os jogadores a percorrerem níveis formados por grelhas, recolhendo ovos que chocam pintainhos e que seguem o jogador. Depois é necessários guiá-los ao longo de vários buracos. Existe sempre um contador a diminuir, mas podem acelerar a vossa velocidade se acertarem com o timing certo nas curvas e se conseguirem ligar com sucesso rondas perfeitas (recolhendo todos os ovos e não perdendo pintainhos). Eventualmente vão entrar no estado Fever, extremamente rápido e com cores invertidas. Pelo meio vão encontrar fantasmas, que só podem ser derrubados quando estão em modo Fever.

É o tipo de jogo viciante que agarrou milhões hás máquinas arcade, aqui distilado à sua forma mais pura. O conceito é simples e os controlos são práticos, mas vão precisar de muita habilidade para ultrapassar os obstáculos mais complicados.

O jogo tem um sistema de progressão, na medida em que permite desbloquear conteúdo de forma progressiva. Isto inclui um modo multijogador para quatro jogadores (exclusivo da versão PS4), um modo virado para puzzles - Laboratory -, o modo Nostalgia que é a preto e branco, e níveis de dificuldade adicionais. Sinceramente, achamos que seria mais benéfico para os jogadores se tudo isto estivesse desbloqueado de início, sobretudo porque alguns destes extras são algo complicados de obter.

Galeria PS4:

Pix the CatPix the CatPix the Cat
Pix the CatPix the CatPix the Cat
Pix the CatPix the CatPix the CatPix the Cat

O estilo de arte é bastante agradável, embora não seja algo tão icónico ou marcante como os jogos que mencionámos em cima. Mas é preciso notar que o modo Nostalgia é algo realmente especial, sobretudo em termos visuais. A grande particularidade de Pix the Cat é que oferece várias camadas, ou andares, em cada nível. A ideia é que o jogador avance cada vez mais fundo, enquanto a câmara se afasta para mostrar a próxima camada. É um sistema inteligente, que leva o jogador a pensar dois passos em frente, encontrando forma de progredir rapidamente para a camada seguinte enquanto tenta recolher todos os pintainhos da camada em que se encontra. Alguns níveis terão soluções quase imediatas, enquanto que outros vão obrigar a algumas repetições até que percebam a solução. Este é o tipo de jogo em que os momentos de desconcentração se pagam caro. Se não tiverem prontos para lhe dar o máximo, mais vale não jogarem.

Jogámos as duas versões do jogo - PS4 e Vita (o jogo suporta Cross-Buy) - e ambas têm as suas vantagens e desvantagens. Este é tipo de jogo em que preferimos jogar com o D-Pad, em vez do analógico, e nesse caso, o da Vita é ligeiramente superior. Contudo, quando os níveis se estendem em várias camadas e podem descer e subir entre os vários níveis, torna-se algo difícil visionar corretamente o que se passa no ecrã da Vita. Nunca é nada que torne a experiência injogável, mas é uma dificuldade acrescida.

Galeria PS Vita

Pix the CatPix the CatPix the Cat
Pix the CatPix the CatPix the CatPix the Cat

Vale ainda a pena referir a abordagem que a Pasta Games teve para os Troféus do jogo, algo que irá agradar aos jogadores mais 'hardcore'. Para terem uma ideia, a maior parte dos Troféus têm uma percentagem abaixo de 1% na PS Vita, enquanto que na PS4 vai ainda mais baixo. Não existe um Troféu de platina para desbloquear, mas estes são os tipos de Troféus que merecem ser exibidos aos amigos.

Pix the Cat vai buscar muitos elementos a outros jogos, mas consegue fazê-lo sem perder a identidade. É bastante viciante e vai apresentar um desafio interessante, que irá testar a vossa concentração e destreza. Se conseguirem aproveitar a promoção do PS Plus e gostam do género, não existem motivos para não descarregar o jogo.

08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Ação arcade extremamente viciante. Banda sonora vibrante. Bom desafio. Variação decente de modos de jogo.
-
O ecrã reduzido da PS Vita dificulta a observação de alguns níveis. Os modos deviam estar todos desbloqueados de início.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

Pix the CatScore

Pix the Cat

ANÁLISE. Escrito por Bengt Lemne

Pac-Man misturado com ChuChu Rocket, misturado com Snake = a um dos jogos mais viciantes de PS4 e PS Vita.



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.